Círculo de fundo bege e borda preta com um desenho de ampulheta colorida

Velha Ciranda

Uma produção inédita da Cia Fio de Chuva de Teatro

Velha Ciranda
Reproduzir vídeo
Velha Ciranda (com audiodescrição)Cia Fio de Chuva de Teatro
00:00 / 18:20

Sinopse:

Árvores, frutas, pés descalços, aconchego. Na roda da vida, o amor e a esperança dançam. A Velha oferece seus mais sinceros desejos às novas gerações e compartilha com elas seus saberes em torno da vida. Ciranda baila por entre sonhos e transformações! Oi passa o sol, oi passa a chuva, oi passa o vento, só não passa o movimento do cirandeiro a rodar!

Ficha técnica:

 

Elenco

Bruna Lopes e Gilmara Moura
 

Texto

Bruna Lopes
 

Intérprete de Libras

Karina Zonzini
 

Roteiro de audiodescrição

Daniella Forchetti

Consultoria

Vilson Zattera
 

Narração

Gilmara Moura
 

Músicas

"Cirandeiro/Casa de Farinha" (cancioneiro popular) - Marcos L. Chabes (voz, violão e udu); "A Velha a Fiar" (cancioneiro popular) - Olivia L. Chabes (voz), Paulo L. Chabes (voz), Marcos L. Chabes (violão, viola caipira, ukulele e udu); instrumental de viola caipira - Marcos L. Chabes; instrumental de violão - Marcos L. Chabes
 

Filmagem e edição

Marcos L. Chabes

Produção

Cia Fio de Chuva de Teatro

Um pouco mais:

Velha Ciranda” surgiu a partir de uma improvisação da atriz e educadora Bruna Lopes durante uma contação de história para bebês e crianças em creches de Campinas/SP. Interpretando uma velhinha simpática e generosa, a atriz oferecia às crianças seus mais sinceros desejos, os seus próprios, para que tivessem uma vida feliz, física e emocionalmente saudável. Em suas mãos, uma pequena sacola era o bastante para suscitar o interesse e a curiosidade das crianças em cada uma das surpresas que ela tirava de seu interior. Como a recepção do público foi muito boa e tanto as crianças quanto as pessoas adultas que as acompanhavam se sentiam sempre muito tocadas pela mensagem de carinho e gentileza que a velhinha trazia, a atriz convidou Gilmara Moura, também atriz e dançarina da Cia Fio de Chuva de Teatro, para seguirem dando vida à esta história e apresentarem-na com suas novas roupagens na Mostra Brincando na Rede, contando agora com recursos audiovisuais. 

 

Velha Ciranda” é um convite à contemplação. É o olhar atento às miudezas e simplicidades da vida, que as crianças fazem tão bem e que os adultos vão se esquecendo com o passar dos anos. É um estar presente no aqui e agora, com toda sua sinestesia tão envolvente. É vídeo que convida para sair das telas, sentir a brisa, a terra, o sol! É ser livre, se sentir seguro e poder voar! Com “Velha Ciranda” podemos abordar o movimento da vida, a passagem do tempo, as diversas transformações que experienciamos - incluindo a morte. O que queremos deixar de nós para aqueles que por nós passam?

As escolas e famílias podem, a partir desta história, oferecer às suas crianças brincadeiras ao ar livre, ou que utilizem elementos naturais, explorando os 5 sentidos físicos. Podem abordar valores como solidariedade, empatia, generosidade, gentileza. Podem iniciar diálogos sobre a vida, a morte e as diversas transformações da matéria. Podem discutir as fases da vida desde as borboletas até os seres humanos! Podem dançar cirandas, danças em roda, aprender cantigas populares. Podem investigar e registrar as histórias das pessoas mais velhas da família. São muitas, enfim, as possibilidades de reverberação criativa que "Velha Ciranda" pode oferecer! Deixe sua imaginação fluir e dançar!

O convite está feito.

Vem cá, cirandeiro, vem cá cirandar!

Cia Fio de Chuva de Teatro

Fundada em 2011, em Campinas/SP, a Cia Fio de Chuva de Teatro busca levar arte aos mais diversos públicos através de uma linguagem sensível e lúdica. 

 

Com vasta experiência teatral e pedagógica, a Cia desenvolve espetáculos cênicos e projetos de arte educação em escolas, ONGs, espaços culturais e eventos particulares. 

 

Em seu repertório, a Cia Fio de Chuva de Teatro conta com inúmeras contações de histórias e espetáculos teatrais infanto-juvenis: "O Castelo de Mulumi", "Instrumentórias", "Tesouro em Alto Mar" e "Minha Chupeta Virou Estrela". Ao longo destes anos, a Cia também já realizou e produziu inúmeros saraus artísticos em Barão Geraldo, Campinas e Paulínia.

Endereço virtual:

INSTAGRAM - @ciafiodechuvadeteatro

Retângulo de borda vermelha com três pessoas sorrindo, na esquerda uma mulher parda de cabelos longos escuros, no meio uma mulher parda de cabelo preto e blusa preta e na direita um homem branco de cabelo preto combrido, barba grande e blusa verde.